Edificações de Energia Quase Zero (NZEBs)

Os primeiros usos do termo Zero Energy Building (ZEB), ou edificações de energia zero, datam dos anos 1970. Entretanto, o termo passou a ter grande destaque após importantes crises energéticas ocorridas nos anos 2000, onde foram adotadas terminologia, definição e abordagens diferentes, de acordo com a política energética e condições específicas de cada país.

No Brasil, a Portaria No 42, de 24 de fevereiro de 2021, que aprova a Instrução Normativa Inmetro para a Classificação de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas (INI-C), apresenta a definição para as edificações de energia quase zero (NZEBs) e edificações de energia positiva (EEPs). A primeira é definida como “edificações energeticamente eficientes cuja geração de energia renovável produzida nos limites da edificação ou do lote em que a edificação está inserida supre 50% ou mais de sua demanda anual de energia”. Já as EEPs são definidas como “edificações energeticamente eficientes cuja geração de energia renovável produzida nos limites da edificação ou do lote em que a edificação está inserida é superior à sua demanda anual de energia”.

As edificações que geram a sua energia localmente e que apresentam balanço energético próximo de zero, zero ou positivo, são tendências em políticas públicas mundiais e trazem benefícios da esfera global à local, uma vez que, essencialmente, apresentam elevada eficiência energética, substituem os combustíveis fósseis por energia limpa e renovável e reduzem as emissões de CO2. Globalmente, contribuem com a redução das emissões de gases do efeito estufa, minimização do aquecimento global e das mudanças climáticas, desaceleração do esgotamento dos recursos naturais e dos combustíveis fósseis e transição de um modelo de geração centralizada para geração distribuída. Para o setor da construção civil, apresentam-se como possibilidade de criação de novos empregos, diferenciação dos projetos e produtos no mercado, valorização das empresas, obtenção de certificações de sustentabilidade e eficiência energética. Para o usuário, promovem redução de custos operacionais (energia), maior conforto ambiental e qualidade do ambiente interno e valorização do imóvel

Conheça as pesquisas e contribuições do LabEEE em relação a edificações de balanço energético quase zero zero e positivo.

Pesquisadores envolvidos nessa área: