Aplicação do método bottom-up para estimativa de usos finais de energia elétrica no setor residencial Brasileiro

Autor:
Cristiano André Teixeira
Orientador:
Roberto Lamberts
Resumo:

O consumo de energia elétrica no setor residencial brasileiro vem crescendo anualmente, apesar de esforços governamentais no sentido de promover seu uso eficiente. Nesse contexto, a elaboração de modelos energéticos atualizados que estimem o consumo de energia elétrica de usos finais no setor residencial brasileiro é importante para auxiliar a implantação de medidas de eficiência energética mais eficazes. Assim, este estudo objetivou aplicar o método bottom-up para estimar o consumo anual de energia elétrica de nove equipamentos: lâmpadas, chuveiros, televisores, ares condicionados, refrigeradores, congeladores, ventiladores, microondas e máquinas de lavar roupa. O estudo teve como base a análise das informações dos domicílios coletadas pela Pesquisa de Posse e Hábitos de Uso de Equipamentos Elétricos (PPH), elaborada em 2019, e os consumos de seus equipamentos foram estimados a partir de equações de determinação de consumo e de simulações energéticas através do programa EnergyPlus, no caso de ares condicionados. Os consumos dos nove equipamentos foram, então, agregados e projetados para refletir os consumos de energia elétrica de todos os domicílios das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte, e de todo o país, sendo, posteriormente, comparados com o consumo real do setor residencial e com os resultados de consumo apresentados no relatório da PPH realizada entre os anos de 2004 e 2006. O estudo demonstrou que cinco dos equipamentos analisados representaram 70% do consumo nacional do setor residencial: refrigeradores, chuveiros, televisores, lâmpadas e congeladores. Também demonstrou-se que as maiores variações de consumo entre as regiões ocorreram com os equipamentos cujos padrões de uso estão diretamente relacionados ao clima, sendo eles chuveiros, ventiladores e ares condicionados. A comparação entre os resultados estimados neste estudo e no relatório da PPH demonstrou que a inserção da tecnologia LED aliada à redução do número de lâmpadas incandescentes nos domicílios pode ter influenciado a redução do consumo das lâmpadas, e que, em contrapartida, a popularização de novas tecnologias de televisores (LCD/LED e plasma) pode ter contribuído para o aumento do consumo desses equipamentos, cuja posse e frequência de uso ainda é alta nos domicílios brasileiros.

Assista a apresentação da dissertação: https://youtu.be/hDukdMd9xFw 

Ano de defesa: