Uso racional de água e eficiência energética em habitações de interesse social - Volume 3– Eficiência energética

Autor: 
Enedir Ghisi, Abel Silva Vieira, Aline Schaefer da Rosa, Ana Kelly Marinoski, Arthur Santos Silva, Bruna Faitão Balvedi, Laiane Susan Silva Almeida
Orientador: 
Enedir Ghisi
Resumo: 

Este volume compreende uma análise de desempenho térmico e energético de habitações de interesse social da região de Florianópolis-SC por meio de diversos procedimentos suscessivos. O primeiro capítulo apresenta um estudo de determinação de modelos representativos através da técnica estatística de “análise de agrupamento” com o objetivo principal de simplificar os experimentos computacionais subsequentes, os quais poderiam ser em modelos estatisticamente representativos, no lugar de analisar habitações individuais. A amostra, para esta análise, foi de 103 habitações com dados completos. A análise de agrupamento foi realizada para a consolidação de modelos representativos de forma e de características construtivas que representem a amostra de habitações. Os resultados apontaram para determinadas características que influenciam no agrupamento de forma e de características construtivas, bem como a definição de modelos com determinado grau de similaridade. Dois modelos representativos foram definidos para a forma da habitação, e três modelos foram definidos para as características construtivas dos materiais da envoltória da habitação. O segundo capítulo apresenta o tratamento estatístico dos dados de uso e operação das habitações levantados no Volume 1 por meio de auditoria. As informações de uso e operação foram utilizadas para a construção de perfis de diversidade, os quais representam a ocupação dos ambientes, a utilização de portas e janelas para ventilação, e o uso de equipamentos eletroeletrônicos. Foi utilizada a técnica estatística de Wilcoxon do posto sinalizado de forma a se construir intervalos de confiança não-paramétricos para a amostra de habitações, mantendo-se o nível de confiabilidade em 80%. Obteve-se, ao final do tratamento, rotinas probabilísticas anuais para a rotina de ocupação, e de operação de portas e janelas para cada ambiente da habitação (sala, cozinha e dormitórios) em intervalos mínimo, mediano e máximo com 80% de confiabilidade. Obteve-se, também, rotinas diárias representativas para o uso da iluminação (80% de confiabilidade) e para as cargas internas com equipamentos e iluminação (90% de confiabilidade), para cada ambiente da edificação e em intervalos mínimo, mediano e máximo. Rotinas determinísticas de uso de equipamentos foram obtidas para os ambientes da habitação, que são eficazes quando associadas às cargas internas representativas obtidas. O terceiro capítulo mostra uma análise de incertezas das rotinas de uso e operação obtidas na simulação computacional do desempenho termo-energético dos modelos representativos das habitações (de forma e de características construtivas).

X